Nova Central defende salário mínimo de R$ 580,00 a partir de janeiro

IMG_1480-1.JPG
José Calixto e Moacyr Tesch participaram da reunião sobre o novo valor do salário mínimo (Foto Contratuh)

A Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), junto a outras centrais sindicais e entidades de aposentados participou de encontro com o presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP), e o vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PT-RS), quando reafirmou a defesa da  proposta de um salário mínimo de R$ 580,00  e a aplicação do mesmo índice reajuste dos proventos de aposentados e pensionistas que ganham acima do mínimo.

O novo salário mínimo entra em vigor a partir de 1o. de janeiro.  A NCST esteve representada no encontro pelo presidente da entidade, José Calixto Ramos, e o secretário-geral, Moacyr Auersvald. 
  
Segundo Calixto, um reajuste maior é possível em razão de o País ter retomado o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) após a crise econômica mundial e há espaços para conquistas superiores ao valor de R$ 540- número estabelecido segundo estimativas orçamentárias da equipe econômica. “As centrais estão unidas por um valor único, que é de R$ 580. Esperamos agora que as negociações sejam levadas adiante”, disse. 

Comunicação NCST/Com Contratuh
 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede