Paraná tem três cidades entre as melhores para empreender

Curitiba, Maringá e Londrina estão no top 15 de melhores cidades do país para empreender. Confira a colocação das cidades em cada quesito do ranking

Três cidades paranaenses estão entre as melhores do Brasil para empreender em 2017. Curitiba, Maringá e Londrina integram o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) divulgado pela Endeavor, que analisou 32 municípios brasileiros, grandes e médios, que concentram uma quantia razoável de empresas com alto potencial crescimento.

No ranking geral, as três paranaenses ficaram na parte de cima da tabela. Curitiba (4.º) e Maringá (8.º) estão entre as dez melhores cidades para empreender. Londrina não ficou muito atrás: é a 13.ª.

"De maneira geral as três estão bem selecionadas, e é legal que as três melhoraram em relação ao ano passado", comenta o coordenador da Endeavor no Paraná, Marco Mazzonetto. Londrina subiu seis, Maringá uma, e Curitiba onze posições, na comparação com 2016. 

No ranking geral, as três paranaenses ficaram na parte de cima da tabela. Curitiba (4.º) e Maringá (8.º) estão entre as dez melhores cidades para empreender. Londrina não ficou muito atrás: é a 13.ª.

"De maneira geral as três estão bem selecionadas, e é legal que as três melhoraram em relação ao ano passado", comenta o coordenador da Endeavor no Paraná, Marco Mazzonetto. Londrina subiu seis, Maringá uma, e Curitiba onze posições, na comparação com 2016. 

Mas o bom resultado é relativo. E não pode maquiar as dificuldades que as cidades ainda apresentam para empreender. "Se você comparar com outros lugares em consideração, mesmo na América Latina, vê que o Brasil ainda tem um ambiente muito inóspito " para os negócios, explica Mazzonetto. 

Um exemplo é o México, que tem proporções e um mercado razoavelmente parecido ao nosso. O tempo médio para abrir uma empresa, lá, são oito dias. No Brasil é de quease 80. 

                      

Destaques no Paraná

 

As cidades paranaenses se destacam no quesito capital humano. Principalmente na chamada baixa qualificação, que mede notas no Ideb e estudantes de nível técnico, por exemplo. 

As três também vão bem em condições urbanas, indicador ligado à infraestrutura que é uma medida da qualidade de vida nas cidades em que se vai empreender. Em geral, as cidades médias vão melhor do que as capitais neste aspecto. Londrina é a segunda melhor do país neste quesito. 

Por outro lado, no quesito mercado, Maringá e Londrina ficam lá embaixo. Londrina, aliás, é a última colocada. A cidade foi uma das afetadas, de todas as pesquisadas, pela crise econômica. Além disso, a proporção entre empresas pequenas, médias e grandes é pequena; o que é um empecilho, em especial para as menores. 

Em um ano, Curitiba sobe 11 posições e é a 4.ª melhor cidade do país para empreender

Maringá foi uma das grandes surpresas em "cultura empreendedora", indicador que trata do otimismo da população em relação ao empreendedorismo. Em geral, as cidades do Sul e Sudeste vão mal. Mas os maringaenses são uma exceção. 

O município é o segundo melhor do país, neste aspecto. Lá, 4211% discorda de que "empreender na cidade é difícil". A ideia de que "os empreendedores exploram seus funcinonários" também é negada. 

Confira, abaixo, as colocações dos três municípios paraenses em cada um dos quesitos medidos pelo Índice das Cidades Empreendedoras 2017, elaborado pela Endeavor. 

                 

Ambiente regulatório 

7.º Londrina 

10.º Curitiba 

21.º Maringá 

                  

Infraestrutura 

9.º Curitiba 

12.º Londrina 

15.º Maringá 

                  

Mercado 

12.º Curitiba 

27.º Maringá 

32.º Londrina 

Acesso a capital 

7.º Curitiba 

9.º Maringá 

15.º Londrina 

                      

Inovação 

9.º Curitiba 

16.º Maringá 

17.º Londrina 

                    

Capital Humano 

3.º Curitiba 

4.º Maringá 

7.º Londrina 

                   

Cultura empreendedora 

2.º Maringá 

15.º Londrina 

31.º Curitiba

                      

Fonte: Gazeta do Povo, 06 de dezembro de 2017

 

filie se

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede