TST apresenta proposta de conciliação para evitar greve dos Correios

BUSCA POR ACORDO

 

Para evitar o início de uma greve nos Correios, o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Renato de Lacerda Paiva, apresentou nesta terça-feira (7/8) uma proposta de acordo. 

A proposta mantêm todos os termos do acordo coletivo de 2017/2018 e também a reposição salarial pela inflação no período, medida pelo INPC. A oferta está condicionada à ausência de movimento grevista. Ou seja, caso a greve seja deflagrada, a proposta é retirada e o processo de mediação, encerrado. O sindicato dos trabalhadores dos Correios já informou que não pretende suspender a greve.

Renato Paiva informou, em sua proposta de acordo ,que, se a jurisprudência da Seção de Dissídios Coletivos do TST for seguida nesse caso, os trabalhadores correm o risco de perder as cláusulas sociais que conseguiram no acordo anterior.

O vice-presidente também ponderou a aceitação da proposta por parte dos dirigentes dos Correios, considerando o cenário de fragilidade por parte dos trabalhadores, bem como o esforço para manter o clima organizacional em condições adequadas.

Prazo para resposta
Os dirigentes sindicais devem analisar e votar sobre a aceitação ou não da proposta em assembleias da categoria. O prazo para resposta ao TST sobre a aceitação da proposta é até a próxima quinta-feira (9 de agosto). Já os Correios tem até o dia 10 de agosto para se manifestar. A proposta perde a vigência caso os trabalhadores optem pela greve da categoria ao longo deste período. Com informações da Assessoria de Imprensa do TST. 

Revista Consultor Jurídico, 87 de agosto de 2018.

 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede