Bolsonaro e o apoio de Steve Bannon, o sabotador de democracias

Bannon tem histórico de utilizar fake news para promover a extrema-direita, com discursos ligados à supremacia branca, homofobia e misoginia. Campanha de Bolsonaro se conecta com tudo isso


Steve Bannon, antigo estrategista chefe da campanha do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está envolvido na campanha do candidato da extrema-direita no segundo turno das eleições 2018 no Brasil, Jair Bolsonaro (PSL). O fato foi levantado pelo seu adversário, Fernando Haddad (PT), e ganhou destaque no periódico inglês The Guardian. Para o petista, o fato estaria ligado com a avalanche de fake news contra ele.


“Você sabe mesmo quem é Bolsonaro?”, provoca um vídeo da campanha de Haddad. “Sabe quem está ao seu lado? Steve Bannon. Ele é acusado de sabotar regimes democráticos pelo mundo. Ele utiliza notícias falsas, fake news, para espalhar medo e violência e vencer eleições. Bannon é especialista em espalhar terror pelo mundo. O que Bolsonaro faz há 30 anos no Brasil”, completa.


A ideia é comprovada por uma postagem do filho de Bolsonaro, Eduardo. Em agosto, ele divulgou uma foto sua com Bannon em um encontro que aconteceu em Nova York. “Tivemos uma excelente conversa e compartilhamos da mesma visão de mundo. Sr. Bannon afirmou ser um entusiasta da campanha de Bolsonaro e certamente estamos em contato para somar forças, principalmente contra o marxismo cultural (sic)”, afirmou.


Bannon é partidário de ideais populistas de extrema-direita, e é acusado de manipular as eleições norte-americanas em 2016 através do uso excessivo das fake news, mesma estratégia que é possível notar na campanha de Bolsonaro.


O estrategista chegou a falar, em entrevista publicada pela Bloomberg News, que a ideia é criar um grupo, “O Movimento”, para reunir estas forças da direita em todo o mundo nesta espécie de clube dos donos do poder. Ele cita a influência no Brasil, Argentina e vislumbra a possibilidade de ampliar para a Ásia em países como o Paquistão, que deve ter eleições em breve.


Entre os meios comandados por Bannon nos Estados Unidos está o blog Breibart News, que publica uma série de fake news favoráveis à extrema-direita, e chegou a ser alvo de polêmicas ao atacar com mentiras a candidata democrata nas eleições norte-americanas de 2016, Hillary Clinton. As polêmicas também passam por apoio a movimentos supremacistas brancos, o que casa com o apoio da Klu Klux Klan a Bolsonaro, divulgado nesta semana. Misoginia e homofobia também estão no cardápio de Bannon, bem como no de Bolsonaro.

Fonte: Rede Brasil Atual

 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede