Acordo garante indenização de R$ 700 mil a famílias de vítimas do crime de Brumadinho

Valor será pago individualmente a pais, filhos e cônjuges de 242 vítimas; irmãos vão receber R$ 150 mil


Seis meses depois do rompimento da barragem que matou pelo menos 248 trabalhadores em Brumadinho (MG), o Ministério Público do Trabalho e a mineradora Vale firmaram acordo de indenização por danos morais às famílias de 242 vítimas.


Pelo acordo, pais, filhos e cônjuges dos operários mortos receberão R$ 700 mil cada. Irmãos terão direito a R$ 150 mil cada. O pagamento total por núcleo familiar pode chegar a R$ 3,8 milhões - consideração uma vítima que deixou esposa, dois filhos, pai, mãe e dois irmãos.


Antes do fechamento do acordo, uma assembleia de familiares ocorrida no domingo (14) aprovou os valores sugeridos pelo MPT.


Pelo acordo, dependentes da vítima terão ainda pensão mensal vitalícia até o ano em que o trabalhador completaria 75 anos de idade.


A Vale também terá de garantir estabilidade no emprego de três anos para funcionários da mineradora e terceirizados, além de pagar auxílio creche (R$ 920) e auxílio educação (R$ 998) para filhos de funcionários até 25 anos.


Além disso, deverão ser pagos R$ 400 milhões a título de dano moral coletivo. Com a assinatura do acordo, a Vale conseguiu desbloquear R$ 1,6 bilhão.


Os valores acordados são os maiores já pagos em indenizações individuais por danos morais na história da Justiça do Trabalho.

Fonte: Brasil de Fato

 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede