Notícias NCST/PR

Posicionamento da NCST frente falsas acusações de acordos espúrios diante proximidade de votação para a “reforma” da Previdência

Presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores repudia, em nota, afirmações equivocadas reproduzidas pela grande imprensa. 




Companheiros e companheiras,

É com muita indignação que venho, por meio desta nota oficial, esclarecer qualquer dúvida a respeito de falsas notícias reproduzidas em grandes veículos da imprensa nacional, que buscam, na verdade, jogar a opinião pública contra o movimento sindical, num momento decisivo, onde o desmonte do sistema previdenciário está na agenda do governo.

Reafirmo nosso posicionamento firme contra este que reconhecemos como um dos maiores e mais graves ataques ao direito legítimo de proteção social depois de tantos anos de contribuição dos trabalhadores ao conjunto de riquezas acumulados pelo Estado. Compreendemos a lógica de que toda e qualquer riqueza emerge da atividade laboral da classe trabalhadora.

Num país onde, segundo Boletim de Política Fiscal do Banco Central, foram direcionados, somente nos últimos 12 meses, R$ 414 bilhões somente para o pagamento de juros e amortizações de uma dívida pública onde recaem fortes suspeitas de fraude e especulação; não podemos jogar na conta da Previdência Social a “responsabilidade” pelo “desequilíbrio fiscal” tão propalado pelo governo.

A Nova Central, mantendo sua coerência histórica na defesa dos mais legítimos interesses da classe trabalhadora, não vai se calar diante de tal inverdade e não fará sala para discursos hipócritas que buscarem arranhar nossa credibilidade enquanto entidade sindical. Não compactuamos com a afirmação de que recursos indevidamente bloqueados pela Caixa Econômica Federal representariam, na verdade, uma espécie de “moeda de troca” com o governo, sobretudo por estarmos seguros da legalidade dessa dívida para com as entidades sindicais. Reafirmamos nossa posição de não ceder a nenhuma pressão que vise frear nosso ímpeto e nossa luta em defesa da Previdência Social brasileira.

José Calixto Ramos
Presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores- NCST

 

Conselho Deliberativo da Nova Central estabelece plano de ação para 2018


O Conselho Deliberativo, composto pelos membros da Diretoria Executiva, Secretários Nacionais e dois representantes de cada uma das Organizações Estaduais da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST, se reuniram nesta terça-feira (5/12), nos estabelecimentos do Centro de Treinamento Educacional –CTE, da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Indústria – CNTI, em Luziânia, para definir parâmetros e plano de ação ao exercício 2018.

A reunião deliberou sobre assuntos financeiros, seguindo para votação da prestação de contas 2016, e demonstrações contábeis para 2018. “A lisura e o profissionalismo adotados por toda diretoria, em conjunto com a assessoria técnica da Nova Central, foi de fundamental importância para a explanação dos assuntos aqui tratados. Ao disponibilizarmos, com excelência, nossas peças contábeis e orçamentárias, asseguro tratar-se da prova fiel de um trabalho sério e transparente”, esclareceu João Domingo Gomes, diretor financeiro da NCST.


Neuriberg Dias, analista político do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar – Diap seguiu fazendo um panorama da conjuntura política atual, e o cenário negativo que envolve os trabalhadores e sindicatos.

Dias explicou ainda, sobre a medida provisória (MPV) 808/2017, o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 287/2016 e alguns temas de grande relevância e impacto para os trabalhadores. Tratou das “reformas”, analisando o eixo social, econômico, fiscal e político. “Os parlamentares que ocupam o Congresso Nacional fazem ajustes para satisfazerem aos interesses de empresários e do mercado financeiro, sendo possível uma visão ampla das possíveis comissões que atuam fortemente contra a classe trabalhadora. O cenário de tramitação dos projetos e a forte resistência feita pela Câmara dos Deputados convergem para a manutenção da “reforma” trabalhista. O desafio é grande para mudar a composição do Congresso, e tentar barrar os impactos negativos sofridos pelos trabalhadores”.

Para o diretor de organização política, Fernando Bandeira, este ano, a relação da Nova Central com os parlamentares no Congresso Nacional foi muita intensa. “Há vários projetos na pauta do plenário da Câmara e do Senado Federal que nos prejudica e não podemos ficar sem fazer nada”.

Denilson Pestana, presidente da Nova Central Paraná, afirmou que o sindicalista, ao longo do tempo, acabou desaprendendo a fazer movimento sindical de forma aguerrida. “O jogo é outro. Os nossos dirigentes nacionais precisam entender que precisamos ir para o confronto. Fizemos tudo o que foi possível para evitar que a “reforma” trabalhista fosse aprovada. No entanto, nada conseguimos evitar. Não basta parecer combativo é preciso ser verdadeiramente. A luta tem que continuar”, protestou Pestana.

 

Reunião do Conselho Fiscal da NCST/PR

IMG 6501

Estiveram reunidos na tarde desta quarta-feira (06), na sede da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado do Paraná, em Curitiba, os senhores Almir Guedes Fernandes (Presidente do sintrimmoc); Claudir dos Santos (Presidente do SOM de Quedas do Iguaçu) e o Senhor José Zierhut (Presidente do Som Ponta Grossa) - Membros do Conselho Fiscal da NCST/PR, para analise e parecer do Balanço Financeiro da entidade. Acompanhou a reunião o senhor Roberto Trindade - contador da entidade.

 
Página 6 de 192

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede