Lula marca gol contra trabalhadores ao vetar fim do Fator Previdenciário

 

Lula-FHC_interna

Surpreendendo a todos, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sucumbiu aos maus conselhos de alguns ministros e decidiu manter a aplicação do Fator Previdenciário no cálculo das aposentadorias. O recurso, criado no governo entreguista de FHC, é um "crime" contra os direitos da classe trabalhadora, que tem que trabalhar mais tempo para se aposentar.

É importante lembrar que quando o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, entre 1998 e 1999, implantou o Fator Previdenciário, o presidente Lula, que naquele tempo era oposição, criticou severamente o redutor de aposentadorias criado pelo seu adversário político. Agora, que é situação e teve a oportunidade de corrigir esta injustiça histórica cometida contra todos os brasileiros que pulam da cama cedo para construir este país, Lula vetou o fim do fator previdenciário. Em outras palavras, isto quer dizer que o ex-metalúrgico de São Bernardo, talvez, não se considere mais um trabalhador e, por isso, se negou a acabar com o fator previdenciário, fórmula de cálculo que diminui o valor das aposentadorias.


Sobre o Fator

O Fator Previdenciário funciona como redutor no cálculo do valor do benefício para desestimular as aposentadorias precoces. Ou seja, os brasileiros precisam ficar mais tempo no mercado de trabalho para não terem deduções no valor de sua aposentadoria.

A extinção do Fator Previdenciário é uma reivindicação antiga do movimento sindical e essa luta foi assumida pela Nova Central Sindical de Trabalhadores, desde a sua fundação em 2005.

Repúdio

Para o presidente nacional da NCST, José Calixto Ramos, "o presidente Lula marcou um gol contra os direitos da classe trabalhadora brasileira, que sofre com as consequências do fator previdenciário. Mesmo com o veto, nós vamos continuar na luta".

Segundo o presidente da Nova Central Sindical de Trabalhadores no Paraná (NCST/Paraná), Denílson Pestana da Costa, o presidente Lula está jogando no lixo a melhor parte de sua biografia. “Não dá pra aceitar que o trabalhador, o pai e a mãe de família, doe a melhor parte de sua vida em favor do Brasil e na hora de se aposentar tenha diminuído seus vencimentos”, critica.

Para o sindicalista, mais do que uma injustiça, “o que o presidente Lula fez, neste dia que era pra ser de festa da torcida e do trabalhador brasileiro, foi um imenso desrespeito com quem trabalha honestamente”. De acordo com o presidente da Nova Central no Paraná, a entidade vai se reunir e decidir como se posicionar diante da atitude do presidente Lula.

“Pode ser que o Fator Previdenciário não vá afetar o padrão de vida do presidente quando ele se aposentar, mas no caso da maioria dos brasileiros, o valor que é tirado da aposentadoria significa menos saúde, menos qualidade de vida e isso nós não podemos aceitar pacificamente”, finaliza.

Última atualização ( Seg, 05 de Julho de 2010 12:27 )  

filie se

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede