Homem que comparou colega a manteiga "crioulo" recebe justa causa

E-mail Imprimir PDF

Trabalhista | Justa causa

Empregado enviou em grupo de WhatsApp a foto do produto e a do colaborador negro para fazer alusão pejorativa à cor da pele da vítima.

Um assistente de operações de concessionária do aeroporto de Guarulhos foi desligado por justa causa após comparar, ao enviar imagem no WhatsApp, imagem de colega de trabalho à da margarina "Crioulo". O obreiro alegou ter sido uma brincadeira mal interpretada. Para a juíza do Trabalho Marina de Almeida Aoki, do TRT da 2ª região, a conduta deve ser inferida do ponto de vista da vítima, e não da intenção de ofender do agente.

No processo, consta que o empregado enviou em grupo de WhatsApp a foto do produto ("Crioulo sem sal") e a de um colaborador negro, utilizada em outdoors da empresa, para fazer alusão pejorativa à cor da pele da vítima. Dias após, o ofendido retratado na publicidade da companhia pediu ajuda ao superior por meio de carta, em que revelou ter sua dignidade ofendida por pessoas que ele desconhece. Com isso, o responsável pela ofensa foi dispensado por justa causa.

"Brincadeira descontextualizada": foi como o reclamante classificou o fato em depoimento à Justiça. Em suas palavras, o que fez foi zombar do sabor do produto com um amigo e tirar um print da foto de um "garoto-propaganda" que ele não conhece. Aduziu, ainda, não ter tido oportunidade de se explicar.

Para a magistrada, a conduta deve ser inferida do ponto de vista da vítima, e não da intenção (ou não) de ofender do agente. Acrescentou que atitudes do gênero devem ser combatidas em todos os lugares, e não apenas no ambiente de trabalho, e que tanto o autor quanto as testemunhas confessaram haver campanhas de incentivo à diversidade racial na empresa.

Ao validar a justa causa, propôs o seguinte raciocínio: se a reclamada é responsabilizada por não proporcionar um ambiente de trabalho saudável e livre de preconceitos à vítima da ofensa racial "seria ilógico condenar uma empresa por punir de forma firme e severa tais comportamentos".

O número do processo não foi divulgado.

Informações: TRT-2.

Por: Redação do Migalhas

https://www.migalhas.com.br/quentes/353245/homem-que-comparou-colega-a-manteiga-crioulo-recebe-justa-causa

 

Acesso Restrito

Rede NCST Sindical

ncst-rede